Estudo aponta que 5 variantes da Covid-19 circulam em Cuba

Estudo aponta que 5 variantes da Covid-19 circulam em Cuba

Um estudo realizado em Cuba detectou a circulação no país de cinco variantes genéticas e seis padrões de mutação da Covid-19, entre elas a sul-africana e a britânica, consideradas altamente contagiosas.

Segundo o documento, elaborado por diversas instituições científicas cubanas, entre março e setembro do ano passado, a variante predominante na ilha foi o D614G – derivada da cidade chinesa de Wuhan -, mas entre o final de dezembro de 2020 e o final de março deste ano, cinco variantes genéticas e seis padrões de mutação foram encontrados.

A informação, publicada nesta quarta-feira nos meios de comunicação oficiais, foi divulgada ontem à noite durante reunião governamental na qual também foram aprovadas novas medidas para tentar controlar a terceira onda de infecções que o país atravessa, e que na última semana registrou mais de 1 mil casos diários.

A diretora de Pesquisa, Diagnóstico e Referência do Instituto de Medicina Tropical Pedro Kourí (IPK), María Guadalupe Guzmán, explicou durante a apresentação do estudo que o aumento das variantes foi detectado inicialmente nos viajantes que chegavam ao país, mas se espalhou gradualmente aos casos locais.

Assim, a variante D614G estava reduzindo sua presença, enquanto a das variantes californiana e sul-africana (esta última detectada no país em janeiro) aumentou, disse.

Dentro do país, as províncias com maior número de variantes e padrões são Havana, Mayabeque e Pinar del Río.

A cientista destacou que embora o D614G ainda predomine em Cuba, as demais variantes presentes apresentam uma “vantagem” evolutiva que pode eventualmente levá-las a torná-las mais difundidas, principalmente a sul-africana.

O fato de essas variantes serem mais contagiosas também poderia explicar o aumento de casos ocorridos no último mês em Cuba, disse Guzmán.

O país acumulou 81.640 infecções e 440 mortes desde o início da pandemia, a maioria nesta terceira onda, que começou em dezembro do ano passado depois da reabertura de aeroportos após quase oito meses de fechamento de fronteira.

Leia também:

Terra Brasil Notícias