Vaticano recua após dizer que demitiria quem não se vacinasse

Vaticano recua após dizer que demitiria quem não se vacinasse

Após receber críticas nas redes sociais, o Vaticano recuou de sua declaração sobre a possibilidade de demitir funcionários que se recusassem a se vacinar contra a Covid-19. Na noite desta quinta-feira (18), o gabinete do Cardeal Bertello emitiu um comunicado afirmando que “soluções alternativas” seriam buscadas para aqueles que não quisessem tomar a vacina.

Nesta quinta-feira (18), o governador da cidade, Cardeal Bertello, havia feito referência ao artigo da lei de 2011, que determina que funcionários que rejeitassem “medidas preventivas” poderiam estar sujeitos a “vários graus de consequências que podem levar à demissão”. Bertello disse que a imunização é uma escolha responsável por causa do risco de prejudicar outras pessoas.

Leia também:

Terra Brasil Notícias