Relatório do FMI dá destaque para rápidas ações de Bolsonaro durante a pandemia e aponta que governo impediu 23 milhões de entrarem na extrema pobreza

Relatório do FMI dá destaque para rápidas ações de Bolsonaro durante a pandemia e aponta que governo impediu 23 milhões de entrarem na extrema pobreza

OFundo Monetário Internacional (FMI) publicou nessa quinta-feira (3) o relatório Artigo IV , onde destacou que o Governo Federal respondeu rapidamente à crise causada pela pandemia de coronavírus com a criação do Auxílio Emergencial. Segundo o documento, o benefício que alcançou diretamente 67,8 milhões de pessoas – cerca de um terço da população – superou os impactos negativos gerados pela paralisação da atividade econômica. O investimento no programa passa de R$ 260 bilhões.

“O FMI aponta que até 23 milhões de cidadãos deixaram de entrar na extrema pobreza. Sem o Auxílio Emergencial, esse percentual teria aumentado de 6,7% para 14,6%. Além disso, o benefício fez a taxa de pessoas pobres no país diminuir para 5,4%. Programas de preservação do emprego, suporte financeiro para os estados e crédito para os pequenos negócios também foram apontados no relatório como iniciativas que ajudam o país a enfrentar as adversidades”, apontou.

Leia também:

Terra Brasil Notícias