Conselho abre nova investigação contra a Globo por prática ilegal e emissora passa a ter restrições

Conselho abre nova investigação contra a Globo por prática ilegal e emissora passa a ter restrições

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) instaurou na quarta-feira (2) um novo inquérito administrativo para apurar supostos indícios de condutas anticompetitivas por parte do Grupo Globo em contratos firmados com agências de publicidade. A ação é a segunda tomada pelo Cade contra a Globo em apenas três meses.

Segundo o órgão, a Globo agora fica proibida de celebrar novos contratos de plano de incentivo e de realizar quaisquer adiantamentos. A medida preventiva contra o grupo foi tomada para impedir prejuízos à concorrência. Se descumprir a medida, a multa é de R$ 20 mil por dia.

Em nota técnica, a superintendência geral do Cade afirma que, nos chamados “planos de incentivo”, o veículo de comunicação pode estabelecer formas adicionais de remuneração às agências, como, por exemplo, a bonificação por volume (conhecido como ‘BV’).

Neste caso, a bonificação pode ser considerada um programa de desconto, que inclui práticas como premiação para quem faz mais anúncios, estratégias de fidelização, imposição de volume mínimo de aquisição, entre outros. Na análise realizada, o Cade entendeu que a forma como a emissora concede a bonificação às agências decorre de exercício abusivo de posição dominante.

Leia também:

Terra Brasil Notícias