Sementes misteriosas da China: 47% das amostras analisadas apresentam risco às lavouras do país, diz ministério

Sementes misteriosas da China: 47% das amostras analisadas apresentam risco às lavouras do país, diz ministério

O Ministério da Agricultura divulgou nesta quarta-feira (25) que analisou, até o momento, 36 amostras de pacotes de sementes misteriosas que chegaram do exterior na casa de brasileiros.

Do total, 47% das amostras já analisadas apresentaram algum risco fitossanitário ao país, segundo o ministério.

Segundo o ministério, até o final de outubro, foram recebidos 525 pacotes de sementes não solicitadas. As ocorrências atingiram todos estados e o Distrito Federal. O restante dos materiais continuam em análise no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária, em Goiás, e não há previsão de quando o processo irá terminar.

O governo afirma que os pacotes “supostamente” foram enviados de 4 países da Ásia. Moradores de Estados Unidos e Canadá também registraram casos semelhantes. A suspeita das autoridades é de que seja uma fraude relacionada ao comércio on-line. Clique aqui para saber mais.

No Brasil, os relatos de recebimento de sementes não solicitadas vêm sendo registrados desde agosto. Esses produtos chegam, normalmente, junto com compras feitas pela internet.

O governo afirma que os pacotes teriam sido enviados por países da Ásia, como China e Malásia, e pela região administrativa chinesa Hong Kong. Porém, a China, por exemplo, nega que tenha feito envios ao país.

Risco às lavouras

“Após avaliação de risco fitossanitário (…) foi identificado que uma amostra continha a espécie Myosoton aquaticum, praga ausente no Brasil e com potencial para ser considerada quarentenária, ou seja, com risco de estabelecimento no país e de causar danos fitossanitários”, diz o governo, em nota nesta quarta.

Segundo o ministério, essa espécie apresenta resistência a herbicidas, o que torna seu controle difícil. “A introdução dessa planta daninha no país pode ter impacto econômico negativo”, afirma a pasta.

As análises realizadas pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária, referência em sanidade vegetal, indicam que parte das amostras contêm a presença de mais de uma praga em seu conteúdo.

Leia também:

Terra Brasil Notícias