Moçambique enfrenta onda de decapitações por jihadistas; mais de 50 pessoas já foram mortas

Moçambique enfrenta onda de decapitações por jihadistas; mais de 50 pessoas já foram mortas

O norte de Moçambique vive o auge de uma onda de violência que tomou a região nos últimos três anos, quando insurgentes islâmicos passaram a promover assassinatos, decapitações e sequestros de mulheres e crianças em vilarejos na província de Cabo Delgado, rica em rubi e gás natural.

Na aldeia de Muatide, por exemplo, jihadistas transformaram neste mês um campo de futebol em campo de execuções. Segundo fontes locais, os combatentes capturaram pessoas que tentavam fugir, levaram-nas para o local e mutilaram seus corpos.

Mais de 50 pessoas foram decapitadas ao longo de três dias de violência. Desde 2007, cerca de 2 mil pessoas foram mortas e mais de 430 mil ficaram desabrigadas no conflito na província de maioria muçulmana, religião de 1 em cada 5 moçambicanos.

Leia também:

Terra Brasil Notícias