Datena revela que Doria recusa entrevistas ao seu programa e detona governador: ‘Narcisista’

Datena revela que Doria recusa entrevistas ao seu programa e detona governador: ‘Narcisista’

José Luiz Datena atacou João Doria (PSDB) nesta terça-feira (10) e o chamou de “narcisista”. O apresentador afirmou que o governador de São Paulo tem se recusado a dar entrevistas para o Brasil Urgente. O motivo é a discussão que os dois tiveram recentemente ao vivo no programa da Band.

Ao comentar a paralisação dos testes da vacina Coronavac no Brasil, a mando da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Datena lembrou a briga que teve ao vivo com Doria no fim de outubro, relacionada à pandemia do coronavírus. O apresentador revelou que, desde então, o político não quer mais ser entrevistado no Brasil Urgente.

“Depois que eu discuti com o Doria aqui… Discuti não, foi uma entrevista besta, boba, desnecessária, que ele reagiu muito mal com uma pergunta normal que eu fiz. Ele perguntou se eu era médico, eu disse que não e que ele também não era”, iniciou Datena.

“Ele fala comigo pelo ‘zap’ [WhatsApp], mas não quer dar entrevista para mim. Se não quiser, não vai fazer falta absolutamente nenhuma. Se quiser falar, pode falar, porque aqui é um espaço democrático, mas pelo jeito não quer falar. Eu também não vou ficar implorando para ele falar, mesmo porque tem 1 milhão de pessoas para falar, não preciso entrevistar o governador de São Paulo”, esbravejou o âncora.

Depois, o jornalista mencionou um verso da música Sampa, de Caetano Veloso, para classificar Doria como narcisista. “Doria é que nem o Narciso, acha feio o que não é espelho. Você tem que falar bem para tudo o que ele acha. Então, se ele não quer me dar entrevista, o que eu posso fazer? Eu não vou enforcar o cara para me dar entrevista, entendeu?”, observou.

O apresentador também deixou críticas a Jair Bolsonaro pelo fato de o político ter comemorado a suspensão dos testes da Coronavac. Um dos voluntários dos testes clínicos morreu, mas a morte não teve relação com o imunizante, de acordo com o Instituto Butantan. Na avaliação do comunicador, o presidente e o governador estão politizando a vacina da Covid-19.

“A atitude do presidente também foi desnecessária. Não precisava tripudiar com o negócio de vacina. Aliás os dois estão politizando a vacina, e acho que esse negócio não pode ser politizado”, opinou.

Leia também:

Terra Brasil Notícias