Zagueiro de queda palmeirense encarou torcedores em restaurante e aeroporto

Zagueiro de queda palmeirense encarou torcedores em restaurante e aeroporto

Quando um gigante como o Palmeiras experimenta o trauma de ser rebaixado à Série B, os sentimentos mais exaltados acabam machucando muita gente. Um dos personagens marcados pela queda no Campeonato Brasileiro de 2002 foi o zagueiro Alexandre, titular da equipe na campanha.

Hoje, levando uma vida pacata na pequena São Pedro de Suaçuí, interior de Minas Gerais, Alexandre Pereira de Souza entrou no olho do furacão na reta final daquele Brasileiro, há 18 anos. Primeiro, por uma falha individual na penúltima rodada, em empate com o Flamengo. Depois, o defensor acabou enfrentando situações desagradáveis, sendo constrangido fora dos estádios por torcedores.

Olhando em perspectiva para a campanha palmeirense de 2002, Alexandre reclama, principalmente, de ter ficado em evidência no meio do grupo. O zagueiro aposentado diz que costumava ficar muito exposto para a imprensa durante a má fase do Verdão, mesmo num elenco cheio de nomes experientes, como os campeões mundiais Marcos e Zinho.

“Eu me arrependo de uma coisa, todo o jogo só eu que falava, todo mundo corria. Fiquei muito marcado por isso. Eu ia dar explicação porque que perdeu, fiquei muito visado. Quando o Palmeiras caiu, eu tive problema lá na Bahia em Salvador com a torcida”, recordou Alexandre em entrevista ao UOL Esporte, em menção à derrota na rodada final para o Vitória, em Salvador (4 a 3).

Além de Palmeiras, Alexandre defendeu outros grandes do país, como Grêmio, Atlético-MG e Cruzeiro, onde foi campeão da Copa do Brasil de 2000. Também jogou no futebol português e nos Emirados Árabes. Hoje, curte uma vida desacelerada em seu sítio mineiro. Abaixo, confira mais do papo com o ex-jogador do Palmeiras.

Leia também:

Terra Brasil Notícias