URUGUAI NÃO TEVE QUARENTENA E NEM LOCKDOWN E É UM DOS PAÍSES COM MENORES CASOS DE COVID-19 NO MUNDO

URUGUAI NÃO TEVE QUARENTENA E NEM LOCKDOWN E É UM DOS PAÍSES COM MENORES CASOS DE COVID-19 NO MUNDO

O país  continua vivendo uma situação privilegiada em relação a outros países. O Uruguai atravessa seu sétimo mês de pandemia com quase todas as atividades em andamento.
Nesse momento, o calcanhar de Aquiles parece ser a área de fronteira com o Brasil. Hoje, o país atravessa a pandemia com manifestações, eleições, bares e escolas abertas, e a proximidade da temporada de verão.
 Na última sexta-feira de setembro, dezenas de milhares de pessoas saíram às ruas de Montevidéu, muitas delas sem máscara, para participar da Marcha pela Diversidade. 
Dois dias depois, mais de dois milhões de pessoas votaram pessoalmente nas eleições locais. Segundo o ministro da Saúde, entre elas estão pelo menos seis mil eleitores que vieram votar do exterior. Na mesma noite, pessoas de todas as regiões (chamadas de departamentos) do país saíram às ruas para comemorar a vitória de cada um de seus candidatos. Muitos sem máscaras. 
Uma semana depois, dezenas de locais de valor histórico e cultural abriram suas portas para milhares de pessoas para celebrar o tradicional Dia do Patrimônio. 
Enquanto isso, todos os finais de semana a cidade fronteiriça de Rivera recebe centenas de brasileiros que chegam do interior do país em dezenas de ônibus para fazer compras no atacado em lojas duty free e depois revender em seu país, de acordo com a mídia local. O Brasil é o terceiro país com mais casos no mundo. 
Os bares estão abertos. Com capacidade limitada, teatros e cinemas estão abertos. Os uruguaios já começam a aproveitar o bom tempo da primavera e a ocupar os espaços públicos. 
A pergunta que muitos estão fazendo é como o Uruguai fez para que a situação não saísse do controle por mais de sete meses. E a outra pergunta, diante das novas altas, é: o país pode ser otimista quanto ao futuro.

Leia também:

Terra Brasil Notícias