PADRE GASTOU MAIS DE 2 MILHÕES EM PROPINA A CHANTAGISTAS PARA NÃO REVELAR CASOS AMOROSOS E GASTOU QUASE 400 MILHÕES EM FAZENDAS

PADRE GASTOU MAIS DE 2 MILHÕES EM PROPINA A CHANTAGISTAS PARA NÃO REVELAR CASOS AMOROSOS E GASTOU QUASE 400 MILHÕES EM FAZENDAS

A Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) comprou ao menos 106 propriedades rurais como fazendas, sítios e chácaras entre os anos de 2010 e 2019. Para as aquisições, a entidade criada pelo padre Robson de Oliveira Pereira, de 46 anos, gastou R$ 367,6 milhões neste período. As terras foram adquiridas principalmente em Goiás, onde vive o pároco, mas também há registros de compras em Mato Grosso e São Paulo.

Os valores aplicados nesses negócios foram provenientes de doações feitas pelos fiéis à Afipe, associação fundada para cuidar dos interesses do Santuário do Divino Pai Eterno, em Trindade. Robson foi presidente da entidade até semana passada, quando se afastou do cargo em meio a uma série de denúncias apresentadas pelo Ministério Público de Goiás (MP). O pároco é suspeito de utilizar os recursos dos donativos para fins pessoais.

Em 2017, o montante gasto pela entidade na compra de propriedades rurais chegou a R$ 115,1 milhões. A fazenda São Domingos, situada em Caiapônia, foi uma das responsáveis pelo alto valor gasto com imóveis rurais naquele ano. A propriedade custou R$ 92,9 milhões e foi paga à vista pela Afipe. 
Padre Robson com fiéis Foto: Reprodução
Naquela altura, o padre Robson foi vítima de um crime de extorsão, quando teve o computador e celular hackeados. Segundo o MP, o pároco foi chantageado ao longo de 2017 “para que não divulgassem imagens e mensagens eletrônicas com informações pessoais, amorosas e profissionais que levassem a prejudicar sua imagem”.
O Padre Robson chegou a transferir mais de R$ 2 milhões das contas bancárias da Afipe para os criminosos. Após a condenação da quadrilha de extorsão, o padre passou ser investigado por uso indevido das doações dos fiéis. Para o MP, o pároco é suspeito de ter cometido crimes de apropriação indébita, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos, sonegação fiscal e associação criminosa.




Leia também:

Terra Brasil Notícias

2 comentários sobre “PADRE GASTOU MAIS DE 2 MILHÕES EM PROPINA A CHANTAGISTAS PARA NÃO REVELAR CASOS AMOROSOS E GASTOU QUASE 400 MILHÕES EM FAZENDAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.